Feira Internacional da Mandioca conta com o apoio da Sicredi União PR/SP

Evento realizado pelo Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná, em Paranavaí, oferece palestras, visitas técnicas e rodadas de negócios

 

Em sua primeira edição, a FIMAN 2016 – Feira Internacional da Mandioca – está sendo realizada em Paranavaí, noroeste do Paraná. O estado foi escolhido por ser o maior produtor de fécula no Brasil e a cidade se tornou pólo em produção de mandioca para fins industriais e referência mundial de produtividade e qualidade.

Entre os dias 22 e 24, serão três dias para trocas de experiências, tecnologias e parceiras em prol da cultura da mandioca. Até o momento, é a única Feira Internacional da Mandioca nas Américas.

Cooperação

O objetivo do evento é integrar o setor e identificar novos rumos para a cultura da mandioca. Nesta edição, 50 estandes foram instalados no Parque Internacional de Exposições Presidente Arthur da Costa e Silva e a expectativa é receber mais de 5.000 participantes e representantes de outros países.

De acordo com o presidente da FIMAN, Maurício Gehlen, o setor tem grande potencial de crescimento com a conquista de novos mercados e a visibilidade internacional do evento amplia a repercussão do tema. “O mundo ainda não conhece a farinha de mandioca. E as indústrias de farinha têm investido em novos produtos, como as farofas temperadas, por exemplo. Então temos a fécula e a farinha para oferecer ao mundo”, afirma.

Para o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, o apoio da cooperativa busca incentivar informações acerca da cultura da mandioca, tão essencial para a produção dos associados na região. “Sempre manteremos o foco no que é rentável e benéfico aos nossos associados e, por isso, acreditamos que o evento gerará mais conhecimento aos produtores rurais e, consequentemente, melhor desempenho em suas atividades”, declara. O presidente ainda aproveita para falar sobre outros produtos pouco comentados. “Arrisco afirmar que se houvessem encontros específicos, para todas as culturas, atrairíamos o olhar de muita gente para o Brasil, como por exemplo para a produção de laticínios. Temos um potencial incrível em produção rural. Precisamos valorizá-lo”.

Atualmente, a cooperativa dispõe de R$ 63.564.437,00 contratados, exclusivamente, para cultura da Mandioca. “Este nicho representa uma fatia considerável em nossos financiamentos rurais. Participar da FIMAN é apoiar todos os assuntos que convém aos associados da Sicredi União PR/SP”, explica Sérgio Gentilin, gerente regional de desenvolvimento.